Você já perdeu algum serviço devido à falta de regularização? Isso acontece com muitos empreendedores. Há vários profissionais com ideias brilhantes, mas a falta de conhecimento em relação aos números, documentos, leis, taxas e siglas deixam grandes negócios na gaveta. No entanto, este bicho de sete cabeças pode ser solucionado: é possível legalizar seu empreendimento e trazer grandes benefícios para seu negócio sem grandes dificuldades. Basta seguir alguns passos, que até podem parecer complicados, mas são simples.

A importância de regularizar a sua ideia está no fato de que cada vez mais as empresas contratantes priorizam negócios formalizados. Além disso, se a empresa estiver legalizada, torna-se mais fácil conseguir financiamentos, solicitações de linhas de crédito exclusivas e direitos previdenciários, além de estar preparado para o recebimento de qualquer investimento seja de uma linha privada ou pública.

Para registrar uma empresa, é necessário conhecer algumas questões:

● É necessário adotar uma forma jurídica ao seu novo negócio. Para empreendedores que atuam sozinhos, a firma deve ser individual. Já para aqueles que possuem ou pensam em ter sócios, a empresa deve ser uma sociedade. No caso de sócios, é possível escolher dois registros: a sociedade simples é destinada às atividades de natureza científica, literária, artística e não exerce atividade econômica; já a sociedade empresarial é constituída por duas ou mais pessoas que exploram uma atividade econômica organizada para a produção e circulação de bens e serviços.

● A localização de sua empresa também deve ser estudada. De acordo com a legislação, antes de alugar ou comprar um imóvel para se instalar, verifique se o Poder Público permite o seu acesso ao local pretendido.

● Sabemos o quanto é difícil planejar e desenvolver um nome para seu novo empreendimento. Sendo assim, é necessário verificar a possível existência de outro negócio com o nome escolhido, pois a inscrição do nome empresarial assegura o uso exclusivo do nome comercial.

● É necessário realizar diversas inscrições, como no cadastro nacional de pessoa jurídica, para que a Receita Federal possa cobrar os tributos, e na Previdência Social, para recolhimento de contribuição que será utilizada nos casos de acidente de trabalho, auxílio maternidade, aposentadoria, etc. Para empresas prestadoras de serviço, é necessário a inscrição na Secretaria de Finanças Municipal. Já para empresas comerciais e industriais, é necessário inscrição na Secretaria da Fazenda do Estado, para controle de imposto sobre circulação de mercadorias. Por fim, a inscrição no sindicato patronal é obrigatória e deve ser direcionada ao ramo da atividade exercida – após a inscrição, é necessário o recolhimento de imposto sindical, pois, assim, você poderá defender seus direitos e contribuir nas decisões da profissão.

Esses e outros rituais burocráticos parecem um grande desafio, mas o esforço em cumpri-los trará grande reputação e credibilidade à empresa.